O tratamento ao cliente

Preparamos algumas dicas para você saber como manter o cliente sempre em primeiro lugar.

O consumidor nunca deve sair da empresa com a impressão de que foi mal atendido.

Sabe por que isso não pode acontecer?

  • Quem é mal atendido vai contar a péssima impressão para outra pessoa
  • O cliente se sente menosprezado e menos importante

Como o cliente deve se sentir?

  • O ideal é que o cliente conte a experiência positiva
  • O ideal é que se sinta especial

Um bom atendimento não só garante a satisfação do cliente, como também a sua fidelidade.

11 DICAS PARA MANTER UM BOM RELACIONAMENTO COM O SEU CLIENTE

1. Atenda bem a qualquer pessoa que se dirigir ao seu comércio. Para isso, esqueça seus próprios preconceitos e não forme impressões antecipadas e distorcidas dos clientes.

2. Cumprimente a todos com um sorriso. Esse é um modo de nos mostrarmos agradáveis e receptivos, o que facilita o contato com o cliente. Sempre que possível, chame-o pelo nome.

3. Nunca deixe uma pessoa esperando, principalmente se o serviço que estiver fazendo não tiver relação com o assunto que o cliente irá tratar. Para quem espera, um minuto torna-se uma eternidade. Há pessoas que aguardam por dois minutos e depois são capazes de dizer que esperaram por mais de dez! No entanto, após ter sido inicialmente atendida, a pessoa aguardará com mais calma, naturalmente.

4. Mesmo fora de seu setor, cumprimente a todos. Não só os colegas de trabalho, mas também os clientes. A gentileza não precisa se restringir ao setor de atuação, mas pode (e deve) se estender a toda a empresa. É sempre gratificante para o consumidor ser reconhecido e cumprimentado.

5. Faça com que o cliente se sinta bem-vindo. Trate-o como alguém importante para a empresa. Comentários agradáveis valorizam a relação, mas nunca fale além do necessário, dê tempo para que ele explique o que deseja.

6. Muitas vezes o cliente fica inibido diante do funcionário, por isso, deixe o consumidor à vontade e preste um atendimento eficiente, orientando-o em sua compra de maneira clara e educada.

7. Nunca, nunca mesmo, dê uma ordem ao cliente. Ninguém gosta de ouvir algo como “o senhor precisa assinar aqui”. Uma expressão cordial tem mais valor: “por favor, o senhor poderia assinar nesta linha?”.

8. Expressões negativas tendem a criar um clima negativo. O ideal é evitar expressões como: “não pode”, “está errado”, “não deve”.

9. Nas informações prestadas ao cliente, a verdade é extremamente importante. Mesmo sendo desagradável, é preferível assumir uma falha a passar ao cliente a impressão de que esconde informações.

10. Fique atento a qualquer reclamação, queixa ou sugestão vinda do cliente e encaminhe-as ao superior imediato para verificação

11. Diante de um cliente autoritário, que acha que é dono da verdade, tente usar toda sua habilidade para atendê-lo da melhor forma e para contornar qualquer mal entendido. Caso perceba que uma determinada situação pode piorar, procure ajuda de seu supervisor ou gerente.

Um bom atendimento não só garante a satisfação do cliente, como também a sua fidelidade.

Mão na massa – Cursos de Panificação

Amipão oferece cursos de aperfeiçoamento para profissionais da panificação.

Amipão oferece cursos de aperfeiçoamento para profissionais da panificação. Entidade realizará os cursos “Formação Gerencial”, “Boas Práticas de Fabricação de Alimentos” e “Panificação Artesanal”.

A partir de terça-feira, dia 23 de abril, até o dia 29 de maio, a entidade realizará o curso “Formação Gerencial”. Sempre às terças e quartas-feiras, com dois encontros semanais das 15h às 19h, gerentes e proprietários de padarias poderão aperfeiçoar seus conhecimentos em relações interpessoais, regimento interno, motivação, formação de equipe, comunicação no trabalho, administração de conflitos, entre outros temas. O curso será realizado na sede da Amipão (Av. do Contorno, 4610, 2º andar, Funcionários) e o investimento é de R$ 300 para associados e R$ 450 para não associados.

De 23 a 25 de abril, acontece o curso “Boas Práticas de Fabricação de Alimentos”, com a instrutora Mariana Braga. Voltado para profissionais que manipulam alimentos, os participantes poderão se atualizar e aperfeiçoar seus conhecimentos em controle de perigos, boas práticas de fabricação fundamentais (PPHO) e requisitos complementares da BPF, entre outros aspectos. O curso também será realizado na sede da Amipão (Av. do Contorno, 4610, 2º andar, Funcionários), das 15h às 19h, e o investimento é de R$ 145 para associados e R$ 290 para não associados.

Por fim, de 24 a 26 de abril, será realizado o curso “Panificação Artesanal”, em parceria com o Senai. Profissionais das áreas de panificação e confeitaria aprenderão a preparar delícias como rosca galega, pão italiano, pão de cerveja preta, pão galego, baguete artesanal, pão de centeio, pão de nozes e uvas passas, pão de milho com cenoura e ciabatta. A programação ainda conta com técnicas de preparação.

Gratuito e exclusivo para profissionais das padarias associadas à entidade, este curso será ministrado pela instrutora do Senai Poliana Guedes e terá suas aulas realizadas na unidade Lagoinha da instituição (Av. Antônio Carlos, 561 – Lagoinha), das 13h às 17h.

As matrículas para todos os cursos podem ser realizadas pelo telefone da Central de Relacionamento da Amipão, (31) 3282-7559. Vagas limitadas.

Serviço: Curso “Formação Gerencial”

Data: 23 de abril a 29 de maio, terças e quartas-feiras, das 15h às 19h

Local: Amipão Matriz – Av. do Contorno, 4610, 2º andar, Funcionários

Valor: R$ 300 para associados e R$ 450 para não associados

Serviço: Curso “Boas Práticas de Fabricação de Alimentos”

Data: 23 a 25 de abril, das 15h às 19h

Local: Amipão Matriz – Av. do Contorno, 4610, 2º andar, Funcionários

Valor: R$ 145 para associados e R$ 290 para não associados

Serviço: Curso “Panificação Artesanal”

Data: 24 a 26 de abril, das 13h às 17h

Local: Senai – Av. Antônio Carlos, 561 – Lagoinha

Curso gratuito para profissionais de padarias associadas à entidade

Amipão alerta para a segurança do consumo de pão diretamente das padarias

Entidade busca sensibilizar consumidores e autoridades para a atenção dispensada pela indústria da panificação para a segurança do consumo direto das padarias.

Entidade busca sensibilizar consumidores e autoridades para a atenção dispensada pela indústria da panificação para a segurança do consumo direto das padarias

Qualidade e procedência. Esses dois quesitos são primordiais ao escolhermos os alimentos que consumimos, não é mesmo? Pensando nisso, o Sindicato e Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão) lança um alerta para conscientizar a população para o consumo de pão exclusivamente em padarias.

Há alguns meses, a entidade tem realizado diversas ações de conscientização da população, por meio de comunicação com consumidores, visitas a escolas, articulação com órgãos regulamentadores para fomento e intensificação da fiscalização das atividades irregulares, além da contínua oferta de cursos, treinamentos e capacitações para os profissionais do setor – muitos deles gratuitos – que ampliam ainda mais a qualidade dos pães, das roscas, dos bolos e de outros produtos de fabricação própria.

Para o presidente da Associação Mineira da Indústria da Panificação (AMIP), entidade que compõe a Amipão, Vinícius Dantas, ao efetuar sua compra na padaria o cliente tem a tranquilidade de consumir um produto de qualidade. “O consumidor precisa refletir e entender que, além da comodidade, outros critérios devem definir sua decisão de compra, como a procedência e a segurança alimentar de si mesmo e de sua família”, afirma.

Em estabelecimentos e serviços amadores ou irregulares, que não seguem as normas de regulamentação e não se submetem à fiscalização da Vigilância Sanitária, não tem como garantir a segurança alimentar, nutricional e regulamentar dos produtos, entre eles o pão francês, que deve ser cobrado a partir da pesagem.

Andrea Belloni, gerente de produtos da Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), afirma que a fiscalização em todo e qualquer segmento abrange as condições de higiene sanitária, manipulação, acondicionamento e transporte dos alimentos, o que confere aos consumidores garantias de segurança. “Ao comprar produtos de panificação fora da padaria, como por exemplo, por vendedores e intermediários nas ruas, o consumidor assume o risco com relação à origem do produto, condições de transporte, temperatura e acondicionamento, por exemplo”, diz.

“Entendemos que em tempos de desemprego em alta e restabelecimento da economia, muitos buscam na panificação e na confeitaria uma atividade informal para recompor sua renda. Por outro lado, é preciso deixar claro para os consumidores e autoridades que a indústria da panificação investe sistematicamente em qualificação, treinamento, controle de contaminações e equipamentos que visam a segurança das operações e a qualidade dos produtos finais. Portanto, alertamos aos consumidores que avaliem rigorosamente o ambiente onde são consumidos ou adquiridos seus produtos de panificação”, finaliza Dantas.

Produtos estão até 75% mais caros em BH

Segundo pesquisa do site Mercado Mineiro, em Belo Horizonte, a variação no valor de produtos de Páscoa pode chegar a 75%.

Segundo pesquisa do site Mercado Mineiro, em Belo Horizonte, a variação no valor de produtos de Páscoa pode chegar a 75%. Os itens estão mais caros em relação a 2018 em um aumento acima da inflação. Outro fator que impacta as vendas dos industrializados é as dietas restritivas e funcionais. Muitos consumidores estão optando por ovos ou outros produtos correlatos, fabricados artesanalmente.

“A expectativa de vendas é muito positiva. As padarias trabalham intensamente nas datas comemorativas ao longo do ano e a Páscoa, acompanhada pelo aumento no consumo do chocolate verificado nesta época, ajuda muito na atração de fluxo e no aumento das vendas”, afirma o presidente da Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amip), entidade que compõe a Amipão, Vinícius Dantas. “Percebemos uma variação média de incremento nesta época do ano de R$ 15 a R$ 50 no ticket médio, ou seja, uma ótima maneira de aumentar o faturamento e ainda fidelizar novos clientes”, destaca.

Segundo Vinícius, o ponto alto desta Páscoa será a fabricação de ovos de chocolate tradicionais e recheados, ovos de colher, bolos com decoração especial, tortas artesanais e as colombas pascais, doces e salgadas. “Com um pouco de criatividade é possível explorar várias maneiras de aumentar o faturamento”, afirma. Apostando no bom desempenho das vendas do produto neste ano, a padaria Portugal, na região da Pampulha, apresenta novos sabores de ovos de colher para os seus clientes. “No ano passado, vendemos cerca de 300 ovos e esperamos dobrar as vendas esse ano. Estamos testando mais receitas para diversificar”, conta a gerente administrativa e sócia-proprietária, Maria do Rosário. Para atender à alta da demanda na padaria, Maria conta que remanejou a equipe de funcionários. “Temos dois confeiteiros que estão dedicando dois dias por semana exclusivamente para a produção dos ovos”, finaliza, otimista.

Setor da panificação aposta na Páscoa para atrair consumidores e lucrar

A poucos dias da chegada da tradicional comemoração, panificadores acreditam que há bastante espaço para aumentar as vendas.

A poucos dias da chegada da tradicional comemoração, panificadores acreditam que há bastante espaço para aumentar as vendas

A Páscoa está se aproximando e a procura por produtos à base de chocolate estão em alta. Ainda há muitos indecisos em busca de boas opções para presentear -e se deliciar também. No entanto, os elevados preços dos industrializados, somados à crescente busca por alimentos gourmet e personalizados, têm levado os consumidores a buscar outras alternativas para presentear amigos e familiares.

Segundo pesquisa do site Mercado Mineiro, em Belo Horizonte, a variação no valor de produtos típicos da época pode chegar a 75%. Além disso, os produtos também estão mais caros em relação ao ano passado, um aumento acima da inflação. Outro fator que impacta as vendas dos industrializados é as dietas restritivas e funcionais. Assim, muitos consumidores estão optando por ovos ou outros produtos correlatos, fabricados artesanalmente.

Na esteira dessa procura crescente, as padarias estão “colocando a mão na massa”, providenciando seus estoques e mirando na data comemorativa, com oferta de produtos de fabricação própria, que aliam beleza e sabor. “A expectativa de vendas é muito positiva. As padarias trabalham intensamente nas datas comemorativas ao longo do ano e a Páscoa, acompanhada pelo aumento no consumo do chocolate verificado nesta época, ajuda muito na atração de fluxo e no aumento das vendas”, afirma o presidente da Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amip), entidade que compõe a Amipão, Vinícius Dantas. “Percebemos uma variação média de incremento nesta época do ano de R$ 15 a R$ 50 no ticket médio, ou seja, uma ótima maneira de aumentar o faturamento e ainda fidelizar novos clientes”, destaca.

Produção própria e caprichada para o período

Segundo Vinícius, o forte nesta Páscoa será a fabricação de ovos de chocolate tradicionais e recheados, ovos de colher, bolos com decoração especial, tortas artesanais e as colombas pascais, doces e salgadas. “Com um pouco de criatividade é possível explorar várias maneiras de aumentar o faturamento”, afirma.

Apostando no bom desempenho das vendas do produto neste ano, a padaria Portugal, na região da Pampulha, apresenta novos sabores de ovos de colher para os seus clientes. “No ano passado, vendemos cerca de 300 ovos e esperamos dobrar as vendas esse ano. Estamos testando mais receitas para diversificar”, conta a gerente administrativa e sócia-proprietária, Maria do Rosário. Para atender à alta da demanda na padaria, Maria conta que remanejou a equipe de funcionários. “Temos dois confeiteiros que estão dedicando dois dias por semana exclusivamente para a produção dos ovos”, finaliza, otimista.

Nutrivida Padaria e Empório inaugura nova unidade em Betim

Tradicional padaria da cidade chega ao Bairro Angola com unidade ampla e maior número de operações gastronômicas.

Uma das padarias mais tradicionais de Betim, com 35 anos de história, a Nutrivida Padaria e Empório inaugurou na última sexta-feira (22) uma nova unidade na cidade. Agora, os clientes podem contar com a nova unidade no Bairro Angola (Avenida Edmeia Mattos Lazarotti, 1381 – Posto Liberdade), em um ambiente aconchegante e moderno.

Na nova unidade, os clientes têm à disposição o que há de melhor na gastronomia, com diversos tipos de operações como pizzas, massas ao vivo, saladas, comida japonesa, carnes especiais, café colonial, além das delícias tradicionais como confeitaria, pães rústicos e de fermentação natural, produtos artesanais e produtos especiais para pessoas com restrições alimentares, sem glúten e lactose. “A nova unidade chega para agradar aos nossos clientes, que já contavam com diversos serviços de café da manhã, almoço e lanches mas que sugeriam novas operações e mais espaço”, conta a proprietária Wânia Viana.

A Nutrivida é uma empresa voltada ao bem-estar dos seus clientes e colaboradores e preza por práticas sustentáveis e socioambientais responsáveis, sendo reconhecidamente umas das melhores microempresas de Betim. “Unimos gastronomia à boa prestação de serviços e estamos sempre prontos para servir, com dedicação e qualidade desde a seleção da matéria-prima até o produto final. Atendimento diferenciado também é nossa prioridade”, finaliza Wânia.